Apesar dos desafios, saúde de Imperatriz é referência para uma macrorregião

O hospital municipal atende 43 municípios maranhenses, além de cidades do Tocantins e Pará, totalizando cerca de 1 milhão de habitantes

O Município de Imperatriz investe 35% da receita municipal em Saúde, sendo que o previsto por lei é de 15%, no mínimo. Apesar dos desafios do Sistema Único de Saúde (SUS), a prefeitura tem realizado avanços nessa área.

Somente nos últimos seis meses do secretário Alcemir Costa, já foram implantadas novas especialidades médicas: a cardiopediatria, a nefropediatria e a infectologia. Em breve, uma nova especialidade será implantada: a reumatologia. Desta forma, os cidadãos não precisam se deslocar para a capital em busca desse atendimento.

Foram habilitados novos leitos de UTI para o Hospital Municipal, o Socorrão. Entregues as novas instalações da UTI do Socorrinho e troca de todo instrumental cirúrgico do hospital. Estão em andamento os mutirões de cirurgias eletivas, tanto adulto quanto infantil.

A prefeitura começou a reestruturação de toda rede de saúde bucal e pretende avançar muito mais na Atenção Básica. Neste sentido, já foram realizadas reformas em UBS’s. A exemplo da unidade do Povoado 1.700 e também nos próximos dias será entregue a reforma do Centro Especializado de Odontologia. Outras obras estão em andamento.

Outro avanço na rede municipal de saúde é o Centro de Reabilitação para Pessoas com Fibromialgia que entrará em funcionamento em breve. O espaço terá uma equipe multidisciplinar com: fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e nutricionistas.

Junto ao Ministério da Saúde, o Município conseguiu autorização para construção de um Centro de Reabilitação Especializado (CER), tipo 4. O CER vai oferecer serviços a pessoas com deficiência intelectual, física, auditiva, visual e múltiplas deficiências, com capacidade para mais de 600 atendimentos por mês.

Socorrão

O Hospital Municipal de Imperatriz (HMI – Socorrão) é o maior hospital porta aberta do Estado, classificado em especializado tipo I e possui mais de 300 leitos.  Atende urgência e emergência em tempo integral nas áreas de clínica médica, clínica pediátrica, clínica cirúrgica, traumato-ortopedia, neurologia, neurocirurgia, cardiologia, nefrologia, oftalmologia, otorrino, UTI adulto e pediátrica e desenvolve assistência aos pacientes.

A unidade hospitalar atende a 43 municípios maranhenses, além de cidades do Tocantins e Pará. O HMI trabalha com superlotação, com desafios, claro, mas prestando saúde a uma população de mais 1 milhão de habitantes, inclusive média e alta complexidade. Com todo esse fluxo, o Socorrão de Imperatriz faz a vez de um hospital regional, sendo gerido pelo Município,  diferente de um hospital porta fechada.

São aproximadamente 20 mil atendimentos mensais, entre consultas, atendimentos de emergências e internações. Destes, em média,  70% declaram-se de outros municípios principalmente do norte do Tocantins e sul do Pará.

O macrorregional de Imperatriz, por exemplo, é porta fechada com atendimentos marcados, quantidade certa de procedimentos. No Socorrão, é impossível saber o número de atendimentos num final de semana, imagine num mês. Resultado de tudo isso é uma superlotação, estrangulamento da unidade, o que é inevitável pelo volume de atendimentos do HMI.

Por mês, a unidade hospitalar serve em média 54 mil refeições a pacientes, acompanhantes e colaboradores. Isso inclui café, almoço, lanche, janta e ceia, esta última para pacientes específicos, a exemplo de diabéticos. Cada cardápio é de acordo com a necessidade nutricional dos pacientes e acompanhantes.

Semanalmente, são realizadas cerca de três cirurgias de neuro, procedimento de alta complexidade, que no Estado, na rede pública, é feito somente no Socorrão de Imperatriz, Caxias e São Luís. Além dessa especialidade, são feitas cirurgias de bucomaxilo, ortopedia, geral, oftalmo, vascular, otorrino, urologia e outras. Até o meio de abril, somente o setor de imagem do hospital já realizou cerca de 3 mil exames, isso não inclui os laboratoriais.

Sobre a estrutura do prédio, é impossível parar todos os atendimentos para uma reforma geral. Por isso, ações pontuais têm sido feitas para melhorar o espaço.  A cozinha do hospital foi totalmente reformada, com ambiente moderno, novos sistemas de exaustores, novas bancadas, novas pias, novos azulejos e reparos das instalações elétricas, hidráulicas e sanitárias, além de troca de mobílias.

Está sendo reformado o refeitório para trazer mais conforto aos colaboradores. Os profissionais de enfermagem ganharam um espaço de repouso totalmente revitalizado.  Foi realizada ainda a revitalização de poltronas, portas e portão.

Leitos de isolamentos da UTI também passaram por reforma, houve ainda reforma interna do elevador, dos corredores e rampas de acesso. A lista também inclui reforma do setor de urologia, da capela, entre outras. Foi montado o Núcleo de Vigilância Hospitalar, com aquisição de equipamentos.

Recentemente, foi inaugurada uma sala de treinamento, visando aprimorar a qualificação profissional dos servidores. Um dos focos dos treinamentos é o atendimento humanizado, e a gestão prioriza essa forma de trabalho, por entender que a população merece o melhor e tem o direito de receber atendimento digno. Trabalho desenvolvido buscando-se um Sistema Único de Saúde resolutivo, humanizado, equitativo, universal e integral.

Por fim, destaca-se que a saúde pública é um desafio em todo o Brasil, em Imperatriz não tem sido diferente, mas têm avanços.  Reconhece-se ainda que é preciso melhorar, porém é impossível fechar os olhos para o que já tem sido feito. No mais, gestão municipal reafirma seu compromisso em cuidar de vidas!

Fonte: Secretaria de Saúde de Imperatriz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *