Militares podem ficar chupando o dedo em 2019: todos vão ficar apenas olhando o bonde passar? Cadê os acordos e negociações para os policiais e bombeiros militares  para 2019/2022?

“O tempo é algo que não volta atrás.
Por isso plante seu jardim e decore sua alma,
Ao invés de esperar que alguém lhe traga flores…”
Veronica Shoffstall

Está se aproximando as eleições e o prazo da última parcela do acordo celebrado em 2015, entre governo e militares estaduais, deve vencer agora no mês de maio. Sem nenhuma perspectiva e projeção para os próximos anos, os policiais e bombeiros militares podem ficar a ver navios por um grande período.

A situação dos servidores militares estaduais não está tão confortável como alguns andam apregoando ou acreditando, até mesmo porque, do ponto de vista dos acordos celebrados, a única coisa que funcionou foi uma reposição salarial de 2012 a 2018, por conta das reivindicações dos servidores militares.

Os militares devem receber a última parcela no mês de maio, contudo os demais pontos do acordo nunca foram cumpridos e nem tão pouco há alguma esperança de ser realizado, pois a comissão especial criada para discutir as demandas dos militares só funcionou em 2015, de lá pra cá, tudo caiu no esquecimento.

Com isso, sem poder de mobilização, lideranças engessadas, associações mudas e algumas acéfalas a situação é complicadíssima.

As associações tentaram de todas as formas, no mês de março, para que houvesse uma mudança nas medidas provisórias, que beneficiaria a grande maioria dos militares, mas sem mobilização e descrédito da comunidade militar o projeto das associações foi enterrado.

A única esperança foi depositada por parlamentares do governo, que disseram que lutariam por uma possível abertura do canal de negociação com os militares, só que papo de alguns políticos não se deve acreditar, com esperanças falsas e falas para tentar ludibriar os servidores, resultado disso: nunca houve uma reunião com o governo do Estado e provavelmente se as lideranças não se articularem, os próximos quatro anos serão de vacas magras para os militares.

Os militares não tem uma lei de promoção, carga horaria definida, um código de ética, uma PEC 300 prometida e o que resta é tão somente uma esperança, como diz o velho ditado, ela é a última que morre.

11 thoughts on “Militares podem ficar chupando o dedo em 2019: todos vão ficar apenas olhando o bonde passar? Cadê os acordos e negociações para os policiais e bombeiros militares  para 2019/2022?

  1. Meu ponto de vista é que. NÃO devemos votar em político simplesmente por ouvir falar de um amigo ou um colega de caserna, pois sabemos que alguns militares que estiveram e que ainda estão no ceio da política. Nada fazem, e nada farão, por nossa classe , logo que são entitulados politicos, esquecem que um dia já foram PMs, não sou telehuiado, tenho minha opinião Formada, e ainda mais em se tratando de classe política. Prefiro usar da minha personalidade de que só voto em político que tiver pelo menos um plano em benefício da camada mais necessitada do funcionalismo público. Onde possa desenvolver um bem social pra mim e para minha família, pois não sou só na vida. tenho família , Mãe, filhos , netos. E todos teem que ser atingidos por esse bem estar.

    1. O amigo está equivocado, pelo contrário o único ainda que sempre diz alguma coisa é o blog, agora nao posso criar e nem inventar pauta, para isso tem as lideranças e associações, se não fazem, aí o amigo deve cobrar delas.

  2. Penso q não se deve esperar muito se ouver desunião entre os militares, somente Uunidos se permanecermos é q vamos atingir objetivos!

  3. O aumento que foi dado foi bom para as praças que estavam com o salário totalmente fora da realidade e defasado, mas foi excelente para os oficiais, exemplo disso é o o aumento de salário do mês que vêm enquanto que o soldado terá aumento de pouco mais de 10% um segundo tenente terá aumento de mais de 50% totalmente desproporcional, vale ressaltar que as duas greves deflagradas pela PMMA não teve apoio de oficiais e eles acabaram sendo os que mais se beneficiaram.

  4. Os companheiros da ativa da PMMA estão ofuscados por esse Governo do Flávio Dino, porque criou uma série de vantagens exclusivamente para os da ativa tais como: promoções sem interstícios, premiações por apreensões de armas de fogo, etc… – porém, criou o famigerado CONSELHO DE ÉTICA para se prevenir contra futuras paralisações; em conluio com o Judiciário permitiu a incorporação dos 21,7% aos vencimentos dos servidores daquele Poder em detrimento dos que ainda não conseguiram esse benefício, prejudicados pelo IRDR nº 170152016, o qual encontra-se parado no TJMA em grau recursal. Finalizando, deixo de citar outras ações nocivas desse Governo por ser de conhecimento público, inclusive o descumprimento de acordos e promessas vãs a exemplo do “HOSPITAL DOS SERVIDORES”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *