Por que tanto alvorço? A proibição das cautelas das armas é fora do Estado do Maranhão conforme a portaria do comandante do CPA-I/7

Está havendo um grande alvorço entre os militares devido a uma informação do ofício circular número 92/2007, do comandante do CPA-I/7, o Cel. Heron Santos, que segundo foi noticiado, o oficial proibiu o porte de arma dos policiais militares de sua circunscrição, no caso CPA-I/7.

A notícia foi dada pelo jornalista e blogueiro Caio Hostilho, no seu web site. Veja aqui(http://caiohostilio.com.br).

De acordo com o denunciante, supostamente um policial militar, disse que o oficial proibiu “o porte de arma de fogo a todos os policiais, praças e oficiais, armas pertencentes a PMMA mesmo que sejam cauteladas e autorizadas, os policiais militares usarem em todo o estado do Maranhão, ou seja, a arma é totalmente controlada e legalizada pela PMMA.(http://caiohostilio.com.br)

Faz-se necessário explicar que está havendo uma interpretação equivocada do ofício, pois o denunciante disse que a proibição seria a todos os policiais militares do Maranhão e em todo o Estado. Será?

Na verdade a proibição é somente aos policiais militares da área do CPA-I/7, e fora do Estado do Maranhão, conforme o ofício circular, então vejamos:

“Considerando a extrema necessidade de controle das armas da corporação cauteladas aos policiais militares no âmbito das Unidades do CPA-I/7, fica proibido o porte de arma de fogo da PMMA com cautela autorizada pelo Comandante do CPA-I/7, fora do Estado do Maranhão.”

As coisas devem  ser devem ser bem esclarecidadas para não deixar dúvidas, pois houve uma falta de interpretação de quem denunciou o fato, pois a cautela aos policiais miltiares é permanente e só quem pode revogá-la é o comandante Geral da PMMA, Cel. Pereira, somente ele tem competencia para revogar a portaria que trata do assunto.

Acreditamos que o comandante Geral da PMMA, não revogaria a portaria, mesmo por que os PMs precisam necessariamente das armas para sua defesa.

Fazendo uma leitura do ofício circular, ele diz textualmente que o militar para usá-la fora do Estado deverá ter a sua autorização do “Comandante da Instituição“, por tanto a proibição é para que o PM possa informar o uso da arma da PMMA fora do Estado, não há dúvida nisso.

Alguém pode questionar, e os militares que moram fora do Estado como: Piauí, Tocantins e Pará,  que fazem fronteiras com o Maranhão? e que estão na área de circunscriçaõ do CPA-I/7? Só lembrando, esse ofício circular é somente para os militares pertencentes a esta área.

Conforme o ofício, deverá o militar informar ao Comandante Geral da PMMA o seu destino fora do Estado para ter o direito de usá-la, simples assim. Acreditamos que não haverá nenhuma restrição.

Bem, como já dissemos, houve um alvorço desnecessário. Basta uma pequena interpretação ao ofício para que possa concluir para quem é a proibição. Abaixo o ofício para tirarem as dúvidas.

.

http://caiohostilio.com.br

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *