Índice de homicídios reduzem em 86% na áreas do 14 º BPM em Imperatriz

O 14º BPM desencadeou uma série de operações no mês de janeiro do ano corrente, com intuito de diminuir os índices de violência em toda área que é de responsabilidade do batalhão. E como resultado das diretrizes e operações elaboradas pelo comando do batalhão, comandado pelo Major Diniz, fora observado que houve uma diminuição substancial nos crimes contra à vida, um exemplo é a taxa de homicídios que caiu 86%, e ao patrimônio em comparação com o mês de janeiro do ano passado. Segundo o Major Diniz, todas essas ações que visam dar uma maior segurança à comunidade atendida pelo batalhão, serão constantes e certamente o comando do batalhão irá sempre procurar adotar medidas para diminuir o número de ocorrências na área do batalhão.

O resultado de todas essas operações, podemos observar no quadro demonstrativo abaixo, onde verifica-se principalmente um aumento no número de apreensão de armas de fogo e a diminuição dos crimes contra a vda. O comandante, frisou que esses números, são resultados de um estudo minucioso sobre ocorrências na área do Bataçjãp, onde fora possível o manejo da tropa para áreas onde ocorriam um maior número de crimes, bem como ao empenho constante da tropa e do comando da Unidade.

14 bpm8

2 thoughts on “Índice de homicídios reduzem em 86% na áreas do 14 º BPM em Imperatriz

  1. Sgt ebniloson qual foi o deputado que entrou com o projeto dá LOB dos bombeiros na assembleia ? Foi rápido a aprovação dá LOB dos bombeiros e dá PM está em fase de retirada dá madeira na floresta amazônica para ir para Suzano celulose para produzir o papel para poder ser redigido neste papel ,ou o problema não é a falta de papel . Ou será a falta de vontade dos deputados …..

    1. Com relação a LOB do bombeiro, o projeto partiu e deve partir do governo do Estado e assim foi feito. No caso do CBMMA, houve uma união entre o comando do CBMMA e das associações, ambos trabalharam juntos no bem comum da corporação, coisa diferente dos policiais militares. Na PM a disputa primeiro entre as entidades, 2 associações centralizaram e quiseram ser o pai da criança junto com o cabo campos, para depois sair por cima da carne seca, só que deram com os burros n’água e não saí do papel. Eles não quiseram se alinhar com o comando e quiseram fazer tudo sozinho, achando q seriam aprovados os seus projetos, só que eles esqueceram que o comando tem força e articulou e neutralizou a LOB das praças e fez a dele, resultado nem um e nem outra. Enquanto houver briga dos dois lados o governo não vai aprovar nem uma. É simples assim. E quero ver alguém contestar essa versão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *