Sargento da PM é assassinado nesse momento em São Luís

Sargento Cláudio

Acabaram de assassinar o 2º Sargento Luiz Cláudio cordeiro baldez, o militar era lotado no Comando Geral da PM. De acordo com as informações, 5 elementos em um Fox Branco efetuaram vários disparos contra o mesmo no momento que ele saía de casa pra viajar.  Ele residia no IPEM-Turu, o sargento ainda foi socorrido para UPA do Parque Vitória, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

Não se sabe ainda os motivos. Maiores informações a qualquer momento.

 

5 thoughts on “Sargento da PM é assassinado nesse momento em São Luís

  1. Infelizmente mais um amigo que se foi vítima da criminalidade que assusta o nosso estado espero que encontre os meliantes, e que se faça justiça que Deus conforte os familiares.

  2. Hoje em dia policiais estão sem o amparo da Lei. Os bandidos estão mais protegidos. Até mesmo com direito de matar, roubar, estuprar e portar armas de grosso calibre que nem a POLICIA BRASILEIRA TEM!

  3. Infelizmente será mais um trabalhador que não voltará ao seio de sua família, trabalhava com o SGT na barreira de estiva quase toda semana, no QCG sempre exercendo seus afazeres na AJG, não recordo de ouvir alguém falando mal do mesmo, e não é só porque está morto.

    Muito jovem ainda, tirado violentamente e sem chances de defesa do seio familiar, infelizmente nossa sociedade não quer resolver o problema, está certo que não vivemos mais num estado de barbárie (não oficialmente), porém esse vagabundo merecia morrer, não irá pagar a morte do companheiro, nem devolvê-lo à sua família, mas infelizmente sabemos que pela nossa justiça dos homens ele caso seja preso irá sair rapidinho como todos os demais beneficiado pelos mais variados indultos.

    No dia que nós brasileiros resolvermos que não aguentamos mais tanta vagabundagem nosso país mudará para melhor, até lá, marginais continuarão matando na certeza da liberdade. À família resta apenas desejar que tenha conforto neste momento de dor nos braços uns dos outros ou na fé que venham a professar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *