Em São Luís, o movimento dos militares morreu?

012c9bcd1432604341_wide
Por mais uma vez o blog toca nesse ponto sensível que é a inércia das lideranças militares aqui na capital. Não temos o intuito de fazer generalizações e sim alertar  a crise que as lideranças na capital estão vivendo.

É notório que as associações em São Luís, perderam sua força, espaço e deixaram a luta morrer ou pelo menos permanecer na UTI.

A intensão não é criticar as lideranças, mas é fazer com que elas possam reagir e sair dessa morbidez. A luta na capital resumiu-se apenas a associação das esposas, pois é a única que tem colocado a boca no trombone e lutado sozinha. A entidade tem deixado acesa a chama do movimento, contudo uma andorinha só não faz verão e também as associações dos marmanjos não podem colocar essa responsabilidade apenas para a associação das esposas que sozinha não poderá fazer nada.

Sem uma associação forte, sem recursos financeiros e sem estruturas na capital o movimento tende a ser sepultado de vez, talvez isso seja bom para alguns dos oficias de linhagem conservadora, por acharem que os praças estavam promovendo a indisciplina, a insubordinação e toda sorte de bagunça e colocando em risco o manto “sagrado” da hierarquia e disciplina. Todavia, a de se convir que mesmo com todas essas querelas, quiçá não fossem os praças para que puxassem o movimento e ter realizado duas greves, que queira ou não, os únicos “aumentos” nos contracheques foram advindos desses movimentos.

Há os críticos de plantão que dizem que os militares não ganharam nada com os movimentos, essas pessoas ou são míopes ou cegos para não querer enxergar os avanços, mesmos que sejam pequenos, mas não podemos ser injustos em desconsiderar o movimento.

Os críticos vão dizer que muitas pessoas quiseram apenas se aproveitar e se dá bem no movimento, no entanto de uma forma ou de outra o certo é que o movimento dos praças, que teve apoio pontual de alguns oficias, foi responsável pelas principais mudanças nesses últimos anos. Isso é fato.

Os oficiais em sua maioria absoluta pouco fizeram caso dessas lutas, talvez por medo de perder alguns privilégios, comprometer sua promoção, perder espaço e ser mal visto pelos demais oficias. Entretanto, essa omissão dos oficias trouxeram danos financeiros considerados.

Quando na época o blog, criticou veementemente o aumento dos delegados com a matéria: GOVERNO PRIVILEGIA OS DELEGADOS COM UM REAJUSTE DE MAIS DE 70%, E OS CORONÉIS COM APENAS 5%. (http://ebnilsoncarvalho.blogspot.com.br)

O então comando da PM, simplesmente determinou abertura de inquérito Policial Militar ao Sargento Ebnilson. Esse foi o preço pago, por defender os coronéis desse insignificante reajuste salarial. Não se viu sequer uma manifestação dos referidos oficias na defesa do jornalista e sargento Ebnilson. Todos ficaram calados e em silencio permaneceram.  Resultado de tudo isso: Os delegados vão a partir desse ano ganhar os seus 22 mil reais, enquanto isso os coronéis vão amargar após 30 anos de serviço pouco mais de 17 mil reais, somente em 2018, ou seja, qualquer estudante de direito que terminou a faculdade poderá se submeter ao concurso de delegado no Maranhão e terá um salário de 22 mil reais, esse será o preço pago pela negligencia nos movimento que deveria ser de todos e não apenas dos praças.

Faltou essa coadunação de forças entre os praças e oficias, mas como as lutas internas e intermináveis brigas de cão e gato, a tendência é a estagnação salarial. Talvez quando os oficias tiveram coragem de lutar e se disporem, aí sim haverá as mudanças necessárias, agora se continuarem na mesma, esse barco vai naufragar e todos serão sucumbidos pelo poder político.

O blog ainda vai voltar a essa temática e mostrar como e por que os coronéis perderam espaço dentro da estrutura da Segurança Pública, que nos últimos 20 anos nenhum coronel PM ascendeu a SSP, será por que? Os coronéis não tem competência para comandar a Secretaria de Segurança? Voltaremos com essa temática.

OBS: O texto aborda apenas as associações e lideranças da capital,  as associações militares do interior do Estado tem dado exemplo de luta.

4 thoughts on “Em São Luís, o movimento dos militares morreu?

  1. O cel, GANHANDO 17.000 REAIS, É MUITO!!!

    CEL CHORANDO NAS REDES SOCIAIS, ALEGANDO Q OS FAZENDÁRIOS, DELEGADOS E JUDICIÁRIO JÁ RECEBERAM A URV, PQ AS PRAÇAS Ñ FAZEM UMA GREVE!!!
    CEL CHORANDO NA RÁDIO DE SLZ, ALEGANDO Q ESTÃO GANHANDO POUCO!!!!
    ENTÃO!!!!
    O QUE VCS FIZERAM NA ATIVA!!!! SÓ ARROCHO NA TROPA E PERSEGUIÇÃO.

    CEL Ñ É DELEGADO, Ń FAZ INQUÉRITO POLICIAL!!
    CEL Ñ DENUNCIA, IGUAL AO MP!!!
    CEL Ñ JULGA, IGUAL AO JUIZ!!!

    PQ ESSA CHORADEIRA!!!! NO COMEÇO DE 2014, FIZERAM UMA GREVE BRANCA!!! CONVIDARAM AS PRAÇAS PARA FORTALECER O MOVIMENTO, QUE Ñ VINGOU. O GOV MA ESTÁ VENDO QUEM TRABALHA!!!

    AS PRAÇAS Q ESTÃO COM OS SALÁRIOS DEFASADOS.
    HOJE A PRAÇA COM 24 ANOS DE PMMA AINDA É SD OU CB!!! HOJE A PRAÇA COM 24 ANOS DE PMMA , GANHA MAIS QUE UM SD RECRUTA, SÓ 300 REAIS, A MAIS.

    CHORADEIRA VAI SER EM 2019. PQ A TABELA JÁ FOI FEITA!!!

    CEL 17.900
    SGT 8.500
    CB 7.500
    SD 6.350

    Ñ VAMOS ACEITAR DISPARIDADES.

    NÓS VAMOS PARA REUNIÃO COM O GOVERNO DE OLHO NOS SALÁRIOS DOS OFICIAIS, Ñ VAMOS ACEITAR DISPARIDADES…

  2. discordo de vc em parte, os oficias fazem muito, eles são pagos mesmo não pra perseguir bandidos mais sim para perseguir os soldados os graduados, eles não delegados mais fazem sim inquéritos, processos, toda a burocracia que vc pense pra prejudicar eles são habilitados, eles não são o ministério publico mais eles denunciam entregam os pares para o ministério publico lascar, eles não são juízes mais julgam e condenam os soldados e graduados, o certo que eles não fazem nada para ajudar mais prejudicar e com eles mesmo. parabéns a todo o oficialato.

  3. É por isso que a Instituição está fadada ao insucesso e a ganhar chibata no lombo, OLHA O GRAU DE CONHECIMENTO demonstrado nos comentários, é uma TRAGICOMÉDIA digna de Plauto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *