71 armas de fogo e 358 brancas foram apreendidas

Coronel Frederico Pereira, mostrou números

Coronel Frederico Pereira, mostrou números (Foto: Flora Dolores)

Segurança mostra balanço do período de Carnaval no estado; 43 mil abordagens, segundo a PM, foram realizadas no período

Setenta e uma armas de fogo apreendidas, 358 armas brancas retiradas dos criminosos, 43 mil abordagens, 375 casos de infrações envolvendo alcoolemia e 887 registros de diversas ocorrências. Este foi o saldo das ações realizadas pelo sistema de segurança no período momesco tanto na capital quanto no interior do estado apresentado ontem em coletiva ocorrida na sede do comando geral da Polícia Militar, no Calhau.

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Frederico Pereira, disse que foi empregado um contingente de 4.908 policiais, com apoio de 768 viaturas e 208 motocicletas no trabalho no decorrer do carnaval deste ano em todo o estado. Na capital, 22 armas de fogo foram retiradas dos criminosos e 39 no interior do estado. Em relação a armas branca, 194, na capital, e 164, no interior.

O coronel também informou que 43 mil abordagens entre pessoas e veículos foram feitas pela polícia. Com relação à “Lei Seca”, o policiamento foi rigoroso durante o carnaval. Uma quantidade de 551 testes de alcoolemia foi feito e acabou resultando em 375 ocorrências em flagrantes. “O policiamento esteve presente em todo o estado e acabou proporcionando um carnaval de tranquilidade”, declarou o Frederico Pereira.

O delegado geral da Polícia Civil, Lawrence Melo, disse que as Polícias Civil e Militar vinham desenvolvendo ações integradas desde o período do pré-carnaval em todo o estado. Na época momesca, mais de 70 investigadores da Polícia Civil estavam empregados e tiveram a presença de cinco plantões de polícia funcionando durante 24 horas e mais ainda o funcionamento da Delegacia do Adolescente Infrator (DAÍ), na Madre Deus.

Já o comandante do Corpo de Bombeiro, coronel Célio Roberto, informou que devido à forte presença dos policiais militares na rua teve o registro de 28 ocorrências em todo o estado. “No carnaval deste ano, as ocorrências de pessoas feridas com tiros ou por objeto cortante foi muito baixo e isso foi devido à presença de militares no circuito”, explicou o coronel.

Fonte: http://imirante.com/oestadoma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *