Chapa quente: Após apontar pistola na cabeça do Cabo, o Tenente Coronel aloprado foi nomeado a Chefe do Estado Maior CPA/I-6 e o coitado do Cabo punido com a transferência para São Luís

portaria

Portaria que nomeou o oficial a chefe do CPA/I-6

Como o blog já havia prognosticado, o obvio aconteceu e a corda arrebentou na costa do Cabo Ney Bandeira que foi transferido para São Luís após ter sofrido violenta agressão psicológica com uma arma aponta para sua cabeça.

Enquanto isso, o Tenente Coronel Miguel Neto, foi promovido ao Alto Escalão da Polícia Militar. O oficial agora estará com a responsabilidade de Comandar diversos Batalhões sobre sua jurisdição, inclusive o 15º BPM em Bacabal, palco do episódio que o coronel aloprado apontou sua pistola 0.40 na cabeça do Cabo Bandeira.

Como o blog havia dito, realmente confirmou-se, os dois pesos e duas medidas dentro da PM. Para os praças a chibata e para alguns oficias do “grupo” férias e promoção ao Alto Escalão da Corporação.

Agora o blog pergunta? Cadê as associações que até o momento não tiveram a hombridade de se manifestarem em nada, salvo a Associação das esposas que de imediato deslocou-se até a cidade de Bacabal junto com sua equipe para acompanhar o andamento da situação.

Por onde anda as associações dos marmanjos que continuam caladas, omissas e olhando a chibata serem deferidas nos lombos daqueles que lutam por direito e dignidade? Lamentável essa postura.

O Blog alerta aos policiais militares. Cuidado com suas atitudes, pois os senhores estão totalmente abandonados e sozinhos. Espera-se que o blog esteja errado e equivocado, mas o histórico nos garante que essa é a realidade.

“Inês está morta”

2 thoughts on “Chapa quente: Após apontar pistola na cabeça do Cabo, o Tenente Coronel aloprado foi nomeado a Chefe do Estado Maior CPA/I-6 e o coitado do Cabo punido com a transferência para São Luís

  1. Queríamos, na verdade, ter um comandante geral, mas parece que não temos. Quanto ao CB, essa transferência é facilmente reversível na justiça, uma simples ação mandamental resolve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *