Confirmado, armas periciadas não matou o jovem na reintegração de posse. Quem matou? Eis a questão

foto1

 

Imagem retirada do vídeo exibido pelo blog

 

O blog desde o primeiro momento do episódio da reintegração de posse na Vila Luizão, foi dito que deveria antes de qualquer coisa investigar e apurar a ocorrência após os laudos médicos dos legistas e a conclusão da perícia, contudo para se querer dá uma resposta apressada prenderam dois policias militares numa tentativa satisfazer a opinião pública e minimizar os efeitos políticos que o caso tomou.

A perecia concluiu que nenhuma das cinco(5) armas apreendidas foi a que matou o manifestante Fagner de 19 anos.

Com a conclusão pericial como ficará a situação dos militares que foram submetidos a esse constrangimento, devido uma ampla exposição de suas imagens perante a sociedade maranhense e a própria Corporação como criminosos?

Outra questão é saber quem matou o Fagner? Já que as armas não partiram dos policias presos.

Imagens retiradas das filmagens do blog, feita pelo sargento Ebnilson, e divulgadas em diversos blogs, provam aquilo que havíamos falados desde o começo quando o blog falou sobre o caso, que marginais estavam no meio dos manifestantes e que tiros foram disparados contra os policias militares. Reveja nos links abaixo:

Exclusivo: Vídeo mostra como foi a reintegração de posse em São José de Ribamar

O que aconteceu de fato na reintegração de posse em S.José de Ribamar

Diante dessas novas conclusões pericias não faz sentido o Cabo Monteiro ainda continuar preso como o autor do disparo.

Esperamos que a justiça seja feita e que o verdadeiro responsável seja descoberto pela morte do manifestante.

One thought on “Confirmado, armas periciadas não matou o jovem na reintegração de posse. Quem matou? Eis a questão

  1. o secretario de segurança do estado deveria fazer como ele fez acusando os policiais, convocar uma coletiva de empresa e dizer o resultado dos laudos da pericia, inocentando os policias e pedido para o Senhor governador que se acha mais do que o poder judiciário, colocar eles em liberdade o mais rápido possível, e pedir desculpas pelas acusações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *