O que aconteceu de fato na reintegração de posse em S.José de Ribamar

reitegração de posse

Manifestante, ataca a pedrada e rojões de foguetes os policias militares em reintegração de posse.

Após analisar todos os fatos narrados pela imprensa televisiva, rádios e blogs a respeito da reintegração de posse feita pela Polícia Militar ontem(13/08), na Vila Luizão. O blog vai analisar como aconteceu a operação e o desfecho que resultou na morte de um manifestante.

Aqui vamos narrar os fatos com base precisamente no que observarmos, olhamos e gravamos pessoalmente e contar o que de fato aconteceu. Vamos nos desprender de quaisquer atitudes corporativa e sim verificar aquilo que seja verossímil.

A imprensa com um todo condenaram, execraram, julgaram a Polícia Militar pelos fatos narrados do ponto de vista exclusivamente no olhar dos manifestantes.

Aqui não vamos nos eximir das responsabilidades dos resultados e dos fatos acontecidos. A morte do manifestante foi uma fatalidade que aconteceu no decorrer da ação policial, onde populares atacaram, a pedrada, rojões de foguetes em direção aos policias e a tiros que foram disparados por marginais que se infiltraram no meio da multidão. Isso a imprensa não contou, pois não estavam no local e colheu tão somente a versão dos manifestantes.

A Polícia Militar esteve no local desde cedo e negociou intensivamente com os manifestantes por longas horas, todavia não adiantou e a população foi irredutível e não quis se retirar do local. O Batalhão de Choque estava também na operação, contudo eles ficaram afastados, quando o clima ficou tenso o Choque começou agir e dispersar  a população com bombas de efeitos morais, usando armas não letais.

Os manifestantes resistiram e não saíram a ordem do oficial de Justiça munido com a reintegração de posse determinada pela justiça.

A parti desse momento os manifestantes enfurecidos começaram atirar pedras nos policiais militares. A PM começou avançar no terreno para retirar e empurrar os ocupantes da areá. Para derrubar os casebres e taperas, o proprietário do terreno invadido colocou a disposição 3 tratores para derrubar e limpar o local. No momento que o Comandante da Operação estava negociando e pedindo para os manifestante deixarem o terreno, um grupo de manifestante cercaram um dos tratores e arremessaram pedras no vidro da Maquina, que quebrou os vidros de um dos tratores. A PM foi socorrer o motorista e nesse momento em diante, as negociações se dissiparam e aconteceu o confronto direto com os policiais militares.

Vamos posteriormente mostrar as imagens  que fizemos no local.

Os manifestantes logo interrompida as negociações começaram a jogar foguete em direção aos policias militares. A tropa avançava para provocar a retirada dos manifestantes, o Choque esteve todo o tempo na retaguarda forçando com bombas de efeitos morais os populares a saírem do local.

Os revoltosos não pararam de jogar pedras e rojões de foguete na PM durante toda à ação policial de reintegração de posse. A morte do manifestante aconteceu no momento que a tropa avançava no terreno. Vamos mostrar em matéria posterior o vídeo no instante que a tropa estava em Campo de futebol no final do terreno. Neste local, estávamos a poucos metros dos manifestantes e muitos deles na esquina da rua jogando foguetes nos militares. No momento desses ataques, a tropa estava recuada e se abrigando nos bancos de areias que tinham próximo, outros policias estavam se abrigando como podiam.

Como o clima ficou tenso, não registramos os demais momentos por que estávamos nos abrigando para não pegar uma pedrada e foguetada. Tivemos que desligar a câmara, para nos abrigarmos e nos protegermos.

Os manifestantes encurralaram algumas viaturas da áreas que estava no local, jogaram pedra e foguetadas em direção a duas guarnições, não temos as imagens desse momento, por que estávamos em outro ponto, abrigado e não foi possível as imagens.

O confronto foi inevitável que resultou na morte do manifestante Fagner Barros dos Santos.

A imprensa não estava no local e os manifestantes não disseram que atiraram na PM. Houve sim tiros de marginais infiltrados, os estampidos foram ouvidos por todos os militares. Esses marginais estavam em algumas casas escondidos atirando na PM. Foram visualizados por companheiros que estavam mais próximo, armas de fogo junto aos manifestantes.

É inverídico depoimentos de manifestantes dizendo que a PM já chegou atirando, isso não confere com a verdade. No momento que ficou insustentável à ação dos manifestante o Choque foi avançando para dá apoio aos militares, atacados pela fúria dos manifestantes. Isso tudo antes da morte de Fagner.

Após  a morte do manifestantes, não resta dúvida que houve ainda a fúria maior dos populares contra a PM. O tropa convencional não teve mais condições da agir, pela falta dos equipamentos necessários de proteção.  Pedimos o apoio dos homens do Choque que estavam na retaguarda e eles assumiram a vanguarda da Operação. O objetivo era prestar o socorro a vítima ainda no chão, todavia os manifestantes enfurecidos não permitiam o acesso da viatura para prestar assistência a vítima.  Houve o reforço do GTA(Grupo Tático Areio) para afastar os manifestante.

Depois que a PM conseguiu se aproximar, os PMs prestaram o socorro a vítima e a colocaram na viatura. Não houve desrespeito e sim à ação foi feito rápida, devido a população que estava atacando constantemente a PM. Para evitar os ataque os militares pegaram o manifestante baleado e fizeram o devido socorro e assistência. Não dá para se precisar se ele já estava morto.

A população não deu trégua para PM e continuaram atirando foguetes e pedra nos PM,s. O GTA teve que agir por diversas vezes para dispersar os manifestantes, sobrevoando o local para que os populares parassem de atacar a PM.

Esses foram os fatos como aconteceu de verdade. Sobre a morte do manifestante, compete a polícia técnica apurar, investigar e concluir o inquérito para se apurar as responsabilidades.

O que não se pode fazer é julgar, condenar e execrar sem antes se concluir a investigação dos fatos. Infelizmente a questão política tem pesado nas ações policias, onde a imprensa para atingir o executivo usa a PM como boi de piranha.

Nessa operação a PM agiu dentro da lei, os fatos que culminaram com a morte de Fagner Barros dos Santos deve sim ser apurados e investigados para se concluir e apontar as responsabilidades.

Pelo fato de ter acontecido a morte do manifestante, não exime a responsabilidade dos populares que insuflaram e atacaram a polícia militar. Esses atos de vandalismo deve ser apurados e investigados.

Vamos explorar o assunto em outras matérias.

16 thoughts on “O que aconteceu de fato na reintegração de posse em S.José de Ribamar

  1. Infelizmente essa é a prática utilizada com o fim de macular a imagem da Polícia Militar na tentativa de conflituar ainda mais, sua relação com a sociedade! Felizmente há sempre alguém politicamente correto, no lugar certo!

  2. estou vendo ai, apenas um lado de defesa q vc fez, a dos pm..so falta falar q a pm foi para apertar a mão dos integrantes da invasão..me compra um bode

    1. Vc acabou de ler a verdade agora se acha que o cidadão morreu trabalhando acredito que não foi, o. Trabalho. Da policia Militar e ostensivo e preventivo agora quem acha que o policial vai levar rojão na cara e pedradas e vai ficar quieta pode tirar o cavalo da chuva porque se o estado e omisso e acha que o policial que revidou esta errado pois a polícia não deve participar desse tipo de serviço e quem comprar seus terrenos e não murar e construir tem que ser invadido mesmo, a policia militar não tem nada haver com reintegração de propriedade particular, outra coisa esse terreno de quem era? Era do estado? O que a polícia militar estava fazendo Então já que não é pros Pms reagirem que mande a capelania…. quando e para escalar os Pms pro serviço todo mundo tem um rei na barriga, quando acontece um ato como essa a PM e a primeira a julgar o profissional…. Então a sorte esta lançada vão mais e sabido por todos que se voce defender sua vida o estado vai virar as costas para você policial….

  3. Infelizmente os policiais já foram condenados antes mesmo de sentar no banco dos réus. Nossa sociedade é hipócrita e merece os governantes que tem. Ninguém comenta o crime que os “invasores” cometem ao se apropriar de coisa alheia e sequer são punidos por tal fato e a única versão que irá prevalecer é a dos parentes da vítima, pois os depoimentos dos demais PMs ou de alguma outra testemunha serão imediatamente descartados por “corporativismo”.

    Não quero dizer que o PM agiu certo ou errado ao atirar, mas o julgamento que a imprensa faz, os DH que só protege vagabundo e todas as demais esferas da sociedade é nojento.

    Pra começar duvido que a maioria dos PMs que hoje estão nas ruas tenham tido qualquer qualificação ou curso de tiro para poder julgar melhor o momento e o local onde disparar em determinadas situações.

    Desde que ingressei na PM em 2007 só disparei 10, isso mesmo, 10 tiros, sendo 5 de 38 e 5 de pistola pt100, depois disso nunca mais.

    Nem adianta argumentarem que a PM oferece curso de Giraldi que quase ninguém pode fazer, pois leva 1 semana sem o PM estar nas ruas ou seções e a maioria dos comandantes não libera justamente para não desfalcar a tropa.

    Se vamos condenar alguém, condenemos primeiramente a PM por não cobrar do governo tudo que é necessário, como fardamento que passam anos sem pagar e pagam incompleto, treinamento constante, equipamentos de proteção individual. Condenemos também o estado do Maranhão por não cobrar do comando que providencie treinamento adequado e por não gastar os recursos que deveria com a boa formação da tropa e com ensino de qualidade para o cidadão para que ele possa respeitar as leis e trabalhar para comprar o que necessita para sobreviver.

    Por fim, condenemos a sociedade brasileira por completo pela corrupção, hipocrisia e por muito mais coisas, pois além de omissa quando a polícia pergunta onde fica a boca de fumo, quando pega alguém com droga “só pra consumo” (como se alimentar o traficante não alimentasse o ladrão e toda uma teia de criminosos, o próximo celular roubado pode ser o seu e você compra coisa sem nota fiscal) é conivente com toda a criminalidade que se alastra no nosso país. Como disse Antônio Vieira no sermão aos peixes: “Nestas palavras, pelo que vos toca, importa, peixes, que advirtais muito outras tantas cousas, quantas são as mesmas palavras. Diz Deus que comem os homens não só o seu povo, senão declaradamente a sua plebe: Plebem meam, porque a plebe e os plebeus, que são os mais pequenos, os que menos podem e os que menos avultam na república, estes são os comidos.”

    SD Rossini
    CIS/DAL

    1. Meu nobre Ferreira, vou publicar sim algumas imagens, o problema é por que não tive tempo ainda, mas faço isso ainda esse fim de semana, não se preocupe.

    1. Concordo o que a polícia militar tem haver com terreno privado, isso não é serviço de competência da Polícia Militar agora o pai de família esta preso por ter matado um marginal… e vergonhoso isso…. porque o cb está preso? Legitima defesa esta na constituição federal???? VergonhaaaaaaaAa

  4. É interessante…Na hora do sufoco independentemente pois casos de samu, ibama, pc, conselho tutelar, gm, etc. A quem recorrem? Agora que um individuo que jugam ser inocente morre a culpa é da PM. Duvido que se tivesse acontecido pelo contrario se alguem estaria com todo esse remorso. A pm é acionada para averiguar atos infracionais, portanto todos que estavam confrontando com a pm estavam errados.

    1. O. Marginal estaria em liberdade, agora a culpa e da corporação que aceita tudo,já foi julgado, agora os ladrões que matam policial estão todos soltos por ai…. tem que prender e o dono do terreno…. quem manda ele comprar terreno e não murar ou construir….

  5. Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

    LV – aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e a ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;

    LVII – ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória.

    Procurei, mas não achei o Artigo onde está escrito: COM EXCEÇÃO DO POLICIAL MILITAR.

  6. só a titulo de informação sem querer emitir opinião sobre o fato: A PM assim como os bombeiros, marinha, aeronáutica, exercito entre outros, são instrumentos do estado!!! O estado, em nossa republica democrática, é quem garante o direito a propriedade privada. Logo os PM’s podem sim serem usados para a reintegração de posse. Isso é o que faz com que eu não invada sua propriedade pois sei que a primeira coisa que vc fara é ligar para o 190.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *